APRENDER BRINCANDO: JOGO DA JOANINHA


Texto escrito pela acadêmica bolsista Renata Penteado.

     O jogo da joaninha foi confeccionado na Escola Municipal Vitória Fernandes, pelas acadêmicas bolsistas do subprojeto Mão Amiga CAPES/PIBID: Dulcimara Tomki, Karen Roberta Cordeiro, Renata Penteado e Silmara Maria Wierzbicki. 
     Para sua construção utilizou-se pratos de papelão, E.V.A e tampinhas de garrafa pet. O jogo tem por objetivo estimular a noção de quantidade, atenção, operações matemáticas, habilidade manual, sequência lógica e concentração. O referido jogo apresenta duas variações:
    1 – Os alunos jogam dois dados, sendo que em um deles contém apenas os numerais 2 e 3, e no outro, sinais de adição e subtração. O número que cair corresponde a quantidade de pintinhas (tampinhas) que o educando deverá retirar da joaninha, que contém números na parte de dentro, e o sinal indicará qual operação será efetuada com os números. 2 – Um aluno de cada vez retira uma pintinha (tampinha) de cada vez da joaninha, as quais contêm operações matemáticas no verso. O grau de dificuldade das operações varia de acordo com o conhecimento dos educandos.
    Eis, assim, uma maneira lúdica e prazerosa de se introduzir o raciocínio lógico-matemático em nossas atividades, onde todas as crianças envolvidas no Projeto Mão Amiga participaram, demonstrando muito interesse pelo mesmo.


Foto 01 - Jogo da Joaninha
Foto 02 - Aplicação do jogo pela acadêmica bolsista Dulcimara Tomki
Foto 03 - Acadêmica bolsista Renata Penteado iniciando o jogo com os alunos atendidos pelo projeto
0

Projeto Mão Amiga marcou presença no Desfile Cívico do Dia Sete de Setembro


    Na manhã do dia sete de setembro de 2014, um domingo, os bolsistas acadêmicos do Projeto Mão Amiga, em conjunto com as supervisoras e coordenadoras, fizeram-se presentes no desfile cívico, com o intuito de representar, em meio às ruas e à comunidade regional, a força cooperativa existente na Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) e no curso de Pedagogia, bem como sinalizar que o curso mencionado tem, em sua dinâmica operacional, um projeto de iniciação à docência que se faz notável não apenas pela vivacidade da cor que veste, mas também pelas ações docentes que empreende ao longo de todo o ano letivo nas escolas parceiras de União da Vitória, Paraná.



Texto escrito pelas bolsistas: Jaqueline Ticiana Scherer e Simone Luiza Kovalczuk
0

Sugestão do Filme: Ao mestre, Com Carinho


    O filme sugerido retrata o dia a dia de um jovem professor que, em sua prática, depara-se com alunos indisciplinados. Este filme é tido como um clássico, evidenciando em seu bojo alguns problemas e medos com os quais os adolescentes do anos 60 defrontavam-se.
 "Ao mestre, com carinho" encontra-se disponível no link:


1

Mão Amiga e Bonequeiras Sem Fronteiras: relato de experiência


     O Projeto Mão Amiga tem como uma das máximas mais basilares a preocupação com o tornar os bolsistas envolvidos mais tocados pelo sentimento de humanidade, fazendo-os pensarem no outro e potencializarem a prática docente com essa partícula de empatia.
    Diante desse cenário de possibilidades humanizadoras e de experiências ímpares, no dia 27 de agosto de 2014, as bolsistas Agnes Isabela Leão Ferreira, Ersoli de Cássia Quirino Grob e Gislaine Ap. de Castro Schneider participaram, juntamente com as Bonequeiras Sem Fronteiras, da entrega de 300 bonecas para as crianças do CMEI Sagrada Família, localizado no Bairro São Cristovão.
     Tomadas pela sensibilidade, as bolsistas supracitadas teceram um comentário apreciativo sobre a entrega das bonecas às crianças. Assim, para a pibidiana Agnes:
     
    “Estar presente neste evento foi emocionante e, ao mesmo tempo, cativante. Uma tarde onde nos envolvemos no trabalho voluntário e tivemos a oportunidade de dividir a alegria com cada criança e, como resultado, recebemos os sorrisos, abraços e carinho desses seres tão especiais, desses anjos conhecidos como crianças”.

       Na mesma linha de entendimento, a bolsista Ersoli pontua:

    “Momentos de grande realização e aprendizado junto às Bonequeiras Sem Fronteiras, um grande gesto de amor ao próximo. Vivenciar esta experiência foi maravilhoso, levaremos para sempre o aprendizado adquirido”.

      Somando ao exposto, a mão amiguense Gislaine sintetiza:

   “Acreditamos que é através de pequenos gestos, que a alegria e a satisfação tomam-se significativas. Auxiliar na entrega das bonecas e observar o brilho nos olhos de cada criança, acompanhado de um sorriso ao escolher seu brinquedo foi um aprendizado de grande valia. Deve-se destacar que para Içami Tiba (2012) a criança desenvolve a autoestima ao brincar com o que ganhou, interagindo e criando novas brincadeiras.”

        Abaixo tem-se um panorama fotográfico do momento ilustrado ao longo do texto. É nítido o sorriso sincero das pibidianas, o brincar faceiro das crianças e a dimensão espacial que 300 bonecas ocupam. Parabéns aos envolvidos!


0

Indicação de Livros


    Uma boa indicação e uma ótima notícia:

Os livros publicados pelo Projeto Mão Amiga já estão disponíveis no site do PIBID da UNESPAR. Além disso, é possível encontrar no mesmo link (exposto logo abaixo) uma variedade de trabalhos, de outros projetos, publicados por intermédio do PIBID. Diante dessa facilidade, acesse e fique atualizado! Boa leitura!

     Acesse já...

  
0

Alunos do Projeto Mão Amiga da Escola Municipal Prof. José Moura visitam Feira de Ciências do Colégio Estadual São Cristóvão


    No dia 28 de agosto de 2014, os alunos do Projeto Mão Amiga, da Escola Municipal Professor José Moura, visitaram a Feira de Ciências do Colégio Estadual São Cristóvão - CESC. A Mostra de Ciências constitui-se em recurso riquíssimo para divulgação da ciência na comunidade escolar. Vale destacar que a construção de um experimento científico envolve o dialogismo entre professor e aluno e entre os alunos. 
   Durante a Feira, os educandos puderam manusear alguns experimentos de Ciências, tendo uma aprendizagem significativa e diversificada. 
    Sob essa ótica, na atualidade, há vários exemplos de feiras de Ciências que ocorrem no Brasil com o objetivo de divulgar e incentivar a elaboração de trabalhos científicos realizados nas escolas. É de suma importância que os discentes entrem em contato com a área científica desde cedo, pois isso pode desencadear grandes aprendizagens e interesses referentes ao assunto. 
    Sendo assim, a visita que realizamos com os alunos participantes do Projeto teve como intencionalidade mostrar a diversidade e o contato com experiências e conteúdos diversificados. Assim, durante a visita, constatamos que os estudantes demostraram muito entusiasmo e observaram com atenção os materiais produzidos, ao passo que realizaram alguns questionamentos sobre as experiências expostas.

Texto escrito pelas bolsistas: Janaíne Gonçalves e Jeniffer Venâncio

 Sangue do Diabo
Ovo na Garrafa
Líquido Fluorescente
 Pegando o Fogo Com as Mãos
Observação no Microscópio
Água Furiosa
 Areia Movediça
Digital no Iodo
2